O que são Contratos Inteligentes?

O que é um contrato inteligente? Como ele difere de um contrato normal? E quais são seus casos de uso? Temos as respostas.

Atualmente, se você deseja realizar algo importante, é provável que precise de um contrato.

Este é um acordo legalmente vinculativo que pode abranger praticamente qualquer coisa. Como a transferência de propriedade, contratos gerais de emprego, acordos de confidencialidade, contratos de licenciamento e mais.

Muitos de nós já estão um pouco familiarizados em lidar com contratos. A maioria das nossas contas de serviços públicos são contratos. Firmamos contratos com nossos bancos e empregadores, bem como com muitos dos serviços que usamos – já que todos aqueles acordos de “termos de uso” que assinamos são, na verdade, contratos legalmente vinculativos.

Eles podem ser de leitura densa e entediante, mas são uma parte importante do mundo financeiro. Não há como evitar lidar com eles para realizar transações com segurança.

Mas a forma como são criados e lidados com os contratos está começando a mudar. Graças à invenção de um novo tipo de contrato digital autoexecutável, conhecido simplesmente como “contrato inteligente”.

O Problema com Contratos

Contratos são tipicamente um documento escrito que descreve quem faz o quê, sob quais condições e quando. No caso de uma disputa, a resolução geralmente é feita de acordo com os termos do contrato através de um árbitro ou mediador. Em alguns casos, pode ser necessário recorrer ao tribunal para resolver questões.

Embora os contratos sejam tão prevalentes na sociedade atual, quase todos eles sofrem do mesmo conjunto de problemas: são demorados para serem criados, difíceis de serem aplicados e frequentemente subjetivos. Alguns são até escritos de forma deliberadamente vaga ou enganosa… que irritante!

Disputas

Se houver um problema com um contrato, resolvê-lo pode ser um verdadeiro pesadelo.

Pode levar semanas, meses ou até mesmo anos para ver o resultado de uma disputa, o que não só é extremamente inconveniente, mas também custoso.

Considerando que pode custar potencialmente milhares de dólares para resolver uma disputa dessa forma, isso torna economicamente inviável fazer valer contratos para acordos de baixo valor.

Qual é o sentido de um contrato se não é fácil de ser cumprido?

Terceiros

Contratos normalmente exigem o envolvimento de terceiros para serem cumpridos.

Afinal, se você tem um contrato para comprar uma casa por um preço acordado, e o vendedor volta atrás no acordo, você precisa seguir os canais legais apropriados para resolver a questão – provavelmente pagando intermediários no processo.

Geralmente, não há uma maneira simples de resolver disputas contratuais “mano a mano”, como dizem. E isso simplesmente não está bom.

Falsificação

Embora não aconteça com frequência, os contratos podem ser falsificados, modificados ou destruídos – o que é extraordinariamente impraticável ou difícil de detectar.

Quando não há cópias, isso torna o contrato efetivamente inútil. Houve casos em que pessoas falsificaram contratos e escaparam impunes, pelo menos temporariamente.

No geral, eles têm uma série de limitações, mas a mudança está no horizonte!

A Solução Inteligente

Se os contratos foram projetados para tornar nossas vidas mais fáceis, por que são tão difíceis de aplicar? Certamente deve haver uma maneira melhor…

Bem, parece que realmente pode haver. Estamos falando dos contratos inteligentes, que estão causando uma disrupção não apenas no mundo financeiro, mas praticamente em todas as indústrias existentes.

Em sua forma mais simples, os contratos inteligentes são trechos de código que executam automaticamente um conjunto de termos acordados. Assim como um contrato regular, um contrato inteligente garante que todos estejam em acordo e saibam exatamente o que se espera de cada um. Ele assegura que todas as partes cumpram suas obrigações.

Esses contratos são construídos usando a tecnologia blockchain, a mesma por trás do Bitcoin e do Ethereum, e estão revolucionando a maneira como pensamos sobre acordos e sua execução.

Então, como funcionam os contratos inteligentes?

Como mencionado anteriormente, os contratos inteligentes são basicamente contratos autoexecutáveis. Eles não precisam envolver intermediários para cumprir um acordo.

Mas como eles realmente fazem isso? Bem, isso se deve à maneira como são construídos. Os contratos inteligentes contêm um código que a rede blockchain executa automaticamente – o que for escrito no código acontecerá após o acionamento.

Esse acionamento pode ser um usuário informando ao contrato inteligente o que fazer por meio de um aplicativo descentralizado (dApp), ou simplesmente quando um evento específico é detectado. Esse evento pode ser uma mudança de preço, a eleição de um novo presidente, ou até mesmo se começa a chover em um local específico – ou qualquer outra coisa dentro do design do contrato e ao que ele deve reagir.

Por exemplo, você pode usar um contrato inteligente para enviar automaticamente $50 em criptomoeda para um membro da família no dia do aniversário dele. A função de pagamento seria acionada quando o contrato detecta o aniversário (por exemplo, por meio de um provedor de dados confiável, como um oráculo), sem necessidade de entrada manual sua ou de qualquer outra pessoa.

Propriedades Únicas

Sendo construídos em cima de redes descentralizadas extremamente seguras, como o Ethereum, os contratos inteligentes têm várias propriedades únicas que os tornam particularmente promissores.

Em primeiro lugar, eles são à prova de adulteração. Isso significa que, após a criação de um contrato inteligente, é praticamente impossível alterá-lo sem deixar um rastro óbvio.

Além disso, eles não estão abertos a interpretações. Não há linguagem técnica para decifrar, cláusulas secretas ou adendos com os quais lidar. No caso dos contratos inteligentes, o código é a lei. O que está escrito no contrato será cumprido – sem “se”, “mas” ou “porém”!

Fim dos Intermediários

Como o nome sugere, esses contratos são “inteligentes”. Isso significa que não precisam de intermediários para executar suas funções.

Essa é uma maneira incrivelmente eficiente em termos de custo e tempo para realizar as coisas. Afinal, intermediários e outros agentes costumam ser caros, demorados e podem causar longos atrasos na resolução de disputas.

Tudo isso é coisa do passado com os contratos inteligentes. Como não há margem para interpretação e nada a contestar.

Proteção de Dados

Atualmente, se você deseja celebrar um contrato com alguém, é provável que precise fornecer algumas informações privadas para fazê-lo. Informar sua identidade, endereço e talvez mais detalhes.

Mas com os contratos inteligentes, isso geralmente não é necessário. É totalmente possível celebrar contratos de forma anônima, mantendo o mesmo nível de segurança. Isso acontece porque eles são “sem confiança” – você não precisa confiar na outra pessoa, já que o contrato inteligente pode ser executado automaticamente.

No geral, os contratos inteligentes oferecem uma camada completamente nova de confidencialidade. Garantindo que seus dados privados não possam ser vendidos, usados de forma indevida ou manuseados incorretamente!

Inúmeras Aplicações!

Nos primeiros dias da indústria de criptomoedas, os contratos inteligentes eram usados principalmente para jogos de azar, como a Roleta. Por serem (relativamente) fáceis de criar e permitirem que os usuários apostassem suas criptomoedas sem precisar confiar que o cassino é necessariamente justo (veja: provably fair).

Desde então, os desenvolvedores têm utilizado os contratos inteligentes para uma infinidade de propósitos úteis, criativos e até mesmo extravagantes. Produzindo alguns exemplos incríveis de como essa simples tecnologia pode perturbar as indústrias atuais.

Hoje em dia, os contratos inteligentes têm sido aplicados em praticamente todas as indústrias; eles têm sido usados para garantir registros de propriedade de terras na África, aumentar a eficiência e a transparência das cadeias de suprimentos, votações baseadas em blockchain e distribuição de recompensas de royalties.

Há até mesmo um contrato inteligente que permite o acesso aos seus tokens de criptomoeda por um período determinado, garantindo que você não os venda ou gaste precocemente e perca a chance de se beneficiar de uma eventual valorização do preço.

Se ao menos tivéssemos conhecido isso há cinco anos!

Alimentando a DeFi

Além de resolver algumas das principais fricções das indústrias existentes, os contratos inteligentes também estão impulsionando uma série inteiramente nova de indústrias que não eram possíveis com contratos convencionais.

Uma dessas indústrias é conhecida como “finanças descentralizadas”, ou “DeFi”. Essencialmente, é um ecossistema completo de serviços financeiros descentralizados, como plataformas de negociação, contas com rendimento, stablecoins e protocolos de seguro.

Já ouviu falar de stablecoins, exchanges descentralizadas ou fazendas de rendimento? Sim, todos eles são exemplos de DeFi!

A maioria dessas plataformas DeFi é acessada por meio de um aplicativo descentralizado (dApp), o que torna a interação com os contratos inteligentes subjacentes uma tarefa mais intuitiva. Muito parecido com o aplicativo de entrega de comida favorito que permite que você peça pizza sem precisar interagir com o código subjacente.

Para saber mais sobre como a DeFi está revolucionando as finanças, confira nosso breve resumo sobre o assunto: aqui.

Os Contratos Inteligentes são o Futuro?

Os contratos inteligentes não são um conceito novo. Na verdade, a ideia de um contrato digital autoexecutável existe há mais de duas décadas. Foi mencionada pela primeira vez na década de 1990 por um homem que muitos chamam de pai dos contratos inteligentes – o renomado cientista da computação Nick Szabo.

No entanto, foi apenas recentemente que a tecnologia para contratos inteligentes verdadeiramente capazes e seguros surgiu – a tecnologia blockchain. Hoje em dia, existem várias blockchains diferentes que suportam contratos inteligentes.

Atualmente, eles ainda estão em seus estágios iniciais de desenvolvimento e adoção. Sofrendo com algumas dificuldades que ainda os tornam relativamente especializados – como potenciais altas taxas e limitações na experiência do usuário.

Atualmente, apenas uma pequena fração da população interage regularmente com contratos inteligentes – a maioria dos quais são usuários de criptomoedas.

Mas isso pode estar prestes a mudar. Com o desenvolvimento de blockchains mais eficientes e grandes empresas criando suas próprias blockchains com capacidade para contratos inteligentes, como o Hyperledger Fabric da IBM e a plataforma Corda da R3, os contratos inteligentes estão se tornando cada vez mais mainstream.

Com plataformas de contratos inteligentes voltadas para empresas ganhando popularidade, pode não demorar muito para que os contratos inteligentes deixem de ser a tecnologia do futuro para se tornarem a tecnologia do presente.

Fonte: ledger.com

Compartilhe este artigo nas redes sociais

Veja outras categorias

Artigos relacionados

Reviews

Comparativo das Carteiras Trezor

As carteiras de hardware Trezor são dispositivos altamente seguros para o armazenamento de criptomoedas, desenvolvidas pela SatoshiLabs.

Este artigo é um comparativo entre os modelos Trezor Safe 3, Trezor

Leia mais