Carteira de hardware quebrada? Não entre em pânico!

As hardwallets são a única coisa que você precisa para proteger seu Bitcoin, mas isso não significa que elas sejam um único ponto de falha caso a sua seja perdida, danificada ou roubada. Neste guia, abordaremos como garantir que uma carteira de hardware quebrada não signifique o fim do seu hodl. Graças aos padrões de backup de todo o setor que o SatoshiLabs ajudou a criar, você nunca deve ter medo de perder seus fundos.

Lembre-se, a sua Trezor possui as chaves de suas criptomoedas, não as próprias moedas. As moedas persistem na rede e você precisa acessar as chaves para transferir elas. Contanto que você tenha sua semente de recuperação de 12 ou 24 palavras em formato físico, você sempre pode regenerar suas chaves, mesmo que a sua Trezor esteja fora de serviço.

Proteja sua semente acima de tudo

Embora ninguém queira perder ou danificar uma Trezor, suas moedas sempre podem ser recuperadas, desde que a sua semente de 12-24 palavras seja mantida em segurança. Mesmo que você decida não comprar um novo dispositivo, poderá recuperar seus fundos graças ao padrão de sementes de recuperação BIP39, um padrão do setor que a SatoshiLabs ajudou a criar para permitir que as suas sementes sejam carregadas em qualquer carteira compatível.

Isso significa que você pode recuperar seus fundos usando outra hardwallet da mesma marca ou diferente, software ou carteiras baseadas em navegador sem estar preso a um único fabricante.

Vídeo em inglês, ative as legendas. Clique em Detalhes/Legendas/Traduzir automaticamente e escolha o seu idioma.

Proteger sua semente é o passo mais importante para proteger seus ativos. Nunca deve ser digitalizado ou entrar em contato com a internet. A melhor maneira de armazenar sua semente é carimbar suas palavras em aço ou outro material físico resistente e depois colocá-lo em um local seguro ao qual somente você tenha acesso. Você pode verificar se o backup da semente foi feito corretamente executando uma recuperação de teste – isso solicitará que você confirme certas partes da semente sem revelar tudo.

O que é uma semente, afinal?

Uma semente (seed), geralmente chamada de semente de recuperação, semente mnemônica ou backup de semente, é simplesmente uma representação legível por humanos de um grande número aleatório. Esse número é praticamente impossível de adivinhar porque é muito grande e é usado para calcular todas as chaves públicas e privadas que você acessa usando sua carteira.

As sementes são a base das carteiras e são usadas para calcular todas as chaves e endereços que você usa para gerenciar criptomoedas. Uma semente criada usando o padrão BIP39 pode ser recuperada para qualquer outra carteira que também suporte o padrão, para que suas moedas, transações e endereços ainda possam ser acessados ​​mesmo que a empresa que criou a carteira não exista mais.

Mantendo sua carteira de hardware segura

A melhor maneira de proteger seus ativos é manter sua carteira de hardware Trezor em boas condições. Com os devidos cuidados e manuseio, um dispositivo Trezor deve durar muitos anos de uso regular. Aqui, abordaremos algumas dicas para manter a sua Trezor em boas condições de funcionamento.

Armazene-o com segurança

As carteiras de hardware Trezor fornecem uma maneira fácil de acessar suas criptomoedas sem os riscos de usar uma carteira de celular ou de software. Ao gerar e armazenar sua semente offline, as carteiras Trezor garantem que não há como um invasor roubar suas chaves por meio de uma conexão remota. Ser descuidado com onde você deixa o dispositivo em si, no entanto, gera diferentes riscos de segurança.

Quando não estiver em uso, é melhor manter a sua hardware wallet em um local fisicamente seguro, como um cofre doméstico. Isso não apenas evita que colegas de apartamento ou ladrões coloquem as mãos no seu dispositivo, mas também pode adicionar outra camada de proteção do ambiente. Embora uma Trezor seja bastante durável, fogo, inundação e sujeira podem afetar a usabilidade do seu dispositivo, portanto, um local de armazenamento seguro manterá seu dispositivo funcionando melhor por mais tempo.

Use vários dispositivos
A semente armazenada em sua Trezor pode ser importada em outros dispositivos e usada simultaneamente. Para garantir que você possa acessar seus fundos, não importa o que aconteça, você pode usar a mesma semente em vários dispositivos e armazená-los separadamente. Dessa forma, mesmo que a sua Trezor seja roubada, você poderá mover fundos rapidamente para um endereço novo e seguro protegido por uma semente diferente.

Como destruir uma carteira de hardware

Hardwallets não flutuam. Tampouco gostam de temperaturas extremas, umidade, sal, sujeira ou qualquer outro elemento que degrada a eletrônica. Trate a sua Trezor com o mesmo cuidado que você daria ao seu smartphone ou outros dispositivos.

Ambos os modelos Trezor são construídos de forma ligeiramente diferente e, portanto, têm tolerâncias diferentes. A Trezor One é particularmente robusta devido ao fato de ser feito de menos componentes, enquanto a Trezor Model T é um pouco mais vulnerável a danos porque a tela touch está exposta.

Os dispositivos Trezor duram anos em condições normais, portanto, tome cuidado para não deixá-los em qualquer lugar onde possam se molhar ou superaquecer. Como mencionado acima, você sempre pode comprar acessórios como cases de silicone para minimizar o risco de danos acidentais.

As carteiras Trezor não devem ser levadas em viagens de barco. Se forem jogados ao mar, eles afundarão e se encherão de água, tornando-os permanentemente inutilizáveis. Se você planeja fazer uma viagem de barco, certifique-se de que sua semente seja mantida segura em casa, para que não haja risco de perder permanentemente o acesso a todas as suas moedas e não poder contabilizar elas.

Recuperando fundos de uma carteira de hardware quebrada

Se o seu dispositivo foi destruído ou perdido, você precisará de sua semente de recuperação e de um lugar para recuperar, como uma nova Trezor. Depois de ter ambos fisicamente em suas mãos, você pode iniciar o processo de recuperação. Usando o Trezor Suite, isso é muito fácil, embora as especificidades sejam ligeiramente diferentes para cada modelo Trezor

O Trezor Suite reconhecerá seu novo dispositivo e o guiará pelo processo de integração. Após a instalação do firmware, você será perguntado se deseja criar um novo backup ou recuperar de um existente. Escolha um método de recuperação e indique quantas palavras são usadas pela sua semente de recuperação e siga as etapas mostradas no Trezor Suite. Embora os métodos sejam ligeiramente diferentes, dependendo da sua preferência e do dispositivo, todos são seguros.

Você será solicitado a inserir as suas palavras de recuperação usando seu computador ou apenas usando seu dispositivo. Sempre confirme os prompts de recuperação usando a sua Trezor e nunca insira palavras iniciais diretamente em um computador sem primeiro ser solicitado pela Trezor. Esteja ciente de que algumas palavras podem ser semelhantes a outras, portanto, se você encontrar algum erro, pode ser devido a um erro de digitação. Assim que você terminar de inserir as palavras iniciais, suas chaves serão recuperadas e todos os seus fundos deverão reaparecer no Suite. Caso contrário, você pode ter definido uma senha.

Fazendo backups seguros

Ter um backup de suas chaves é a única maneira de garantir que no futuro você poderá acessá-las, não importa o que aconteça. Ao configurar a sua Trezor pela primeira vez, você será solicitado a criar um backup. Esta etapa não é opcional: se você ignorá-la, não será seguro transferir moedas para um endereço criado pelo seu dispositivo.

Para criar um backup seguro, basta seguir as instruções apresentadas a você no Trezor Suite e no seu dispositivo TrezorO processo é simples: será lhe apresentado uma lista de palavras numa ordem específica, que deverá copiar à mão para um papel ou outro suporte físico. Nunca crie uma cópia digital. Depois de anotar, você precisará verificar se foram copiados corretamente antes de poder usar o dispositivo.

Embora você deva manter a sua Trezor segura, o código PIN oferecerá alguma proteção contra qualquer pessoa que o encontre. Esse não é o caso da sua semente. Sempre mantenha sua semente trancada – qualquer pessoa que encontrar sua semente pode simplesmente reaver os seus fundos em uma carteira compatível e assumir o controle de seus fundos, a menos que você também use uma senha.

Seu Bitcoin à prova de desastres

Embora uma semente de recuperação BIP39 forneça uma tábua de salvação se você perder sua carteira física, ela também é vulnerável ao meio ambiente e pode ser facilmente perdida ou destruída se não for tratada com cuidado. Aprimorando o BIP39, a SatoshiLabs criou outro padrão que pode ser usado na Trezor Model T: o Shamir Backup (SLIP39), também conhecido como backup avançado no Trezor Suite.

O Shamir backup reduz o risco de perder a semente de recuperação dividindo-a com segurança em várias sementes complementares. Cada semente são compartilhamentos criados por esse processo e é único e deve ser combinado com outros compartilhamentos até que um determinado número limite (definido pelo usuário) seja atingido. Só então a carteira pode ser recuperada.

Há muitas vantagens em usar o backup do Shamir. Primeiro, como mencionado, é que ele pode evitar a perda ou dano da semente: ao armazenar ações em locais diferentes, cada uma delas está exposta a riscos diferentes, o que significa que há uma boa chance de você sempre ter o suficiente em condições de uso para atingir o limite de recuperar sua carteira, mesmo que algumas sejam destruídas, perdidas ou roubadas.

Em segundo lugar, o backup do Shamir oferece muito mais flexibilidade sobre como você gerencia seus fundos. Ao criar um backup do Shamir, você pode gerar até 16 compartilhamentos exclusivos e exigir qualquer número deles como limite de recuperação. Isso permite que você adapte o processo de recuperação às suas necessidades.

Em geral, é melhor manter isso simples. A configuração recomendada é um esquema 3 de 5, onde cinco compartilhamentos são gerados e três são usados ​​para recuperação. Dessa forma, você pode tolerar a perda ou destruição de duas ações e ainda poderá recuperar suas moedas.

Proteja sua herança de criptografia

Uma das perguntas mais negligenciadas pelos hodlers de criptomoedas é “O que acontecerá com seu bitcoin se você morrer?”. É uma pergunta importante – embora desconfortável – a ser feita, mas para a qual uma boa estratégia de backup pode fornecer a resposta.

Do ponto de vista da segurança, pode parecer contraditório pensar em dar acesso à sua carteira para outras pessoas, mas na verdade não há necessidade de comprometer a segurança se for abordado corretamente.

Existem várias maneiras de garantir que seus entes queridos possam acessar seus pertences depois que você partir dessa pra melhor. O Shamir Backup é particularmente útil neste caso, pois você pode providenciar que a localização dos compartilhamentos seja repassada para seus parentes mais próximos por meio de diferentes canais sem nunca comprometer a localização de um número limite de uma só vez. Por exemplo, você pode depositar uma ação com seu herdeiro, uma em um cofre de banco que será transferida para eles após sua morte e, em seguida, fornecer instruções para localizar a terceira em seu testamento.

Outra opção é usar o que é conhecido como interruptor de homem morto. Isso é usado para descrever qualquer mecanismo que seja acionado se não houver interação por um determinado período de tempo. Usando o Locktime, um recurso do Bitcoin incluído no Trezor Suite, você pode agendar uma transação seis meses ou um ano no futuro e renová-la se ainda estiver vivo no momento em que a transação deve ser enviada.

fonte: blog.trezor.io